• Excesso de jargões toma conta da vida corporativa

    Em que situações eles são úteis e quando se tornam pura frescura? 

    Para ler na íntegra a matéria com participação de Ricardo Barcelos, Sócio da Havik People Results, acesse este link.  

    Fonte: Folha de S. Paulo, 24/03/2013